Dicionário Smart-Esperto

Ultra modum, sine causa.

terça-feira, outubro 31, 2006

To lose the head - Perder a cabeça

O triste fado de muitos guilhotinados, mais ou menos célebres, como é o caso de Maria Antonieta, consorte de Luís XVI de França, guilhotinada a 16 de Outubro de 1793.
O que pouca gente sabe é que a expressão se deve ao verdugo Martin Couplatête, que no meio da euforia, perdeu as cabeças da monarca e de outras figuras de vulto da nobreza francesa. Tal situação causou grande desgosto ao taxidermista oficial da República, Stéphane Empaillemorts, que pretendia criar um pavilhão de caça na casa de Verão de Robespierre, com as cabeças empalhadas dos defuntos monárquicos.
|| myguiltyself, 23:18 || link || (1) comments |

To tie the donkey - Amarrar o burro

1. Velho costume rural (v. He's giving it and the donkey's kicking ).
2. Uma birra com um jumento.
3. Prática de burras sado-masoquistas.
|| napalmneto, 21:17 || link || (2) comments |

He's giving it and the donkey's kicking - Ele a dar-lhe e a burra aos coices

Era uma vez um agricultor que gostava de dar umas voltas na, ou com, a sua burra. Num belo dia, o agricultor dirigiu-se à burra com falinhas mansas e olhos de carneiro mal-morto, ao que a burra respondeu prontamente: «Hoje não! Estou com uma dor de cabeça horrível! Olha, vai chatear a vaca da tua mulher!». O agricultor que já tinha tentado uma abordagem semelhante com a vaca, com a mulher, com três ovelhas e uma catatua (não necessariamente por esta ordem) e sem resultados, amarrou a burra a uma azinheira e tentou abusar da bichinha. A pobre burra, ao ver-se assim violentada, pregou um valente coice no agricultor, mesmo em cheio nas partes-baixas, o que lhe causou um grande inchaço. O agricultor, que era já um homem experiente, tinha-se precavido contra tal situação: prendeu-se à burra com uma velha câmara-de-ar. Foi assim que nasceu esta bela expressão. Sempre que o agricultor lhe dava, a burra pregava-lhe um coice, mas graças às magníficas propriedades elásticas da câmara-de-ar, o agricultor era puxado de volta à burra e voltava a dar-lhe. E viveram felizes para sempre, porque quando a mulher do agricultor veio à rua por causa do barulho e encontrou o marido naqueles preparos com a burra, pediu imediatamente o divórcio.
|| myguiltyself, 16:33 || link || (2) comments |

segunda-feira, outubro 30, 2006

«The shovel is the broom's friend» - «A pá é amiga da vassoura»

Maga Patalógica e Madame Min, duas jovens barregãs dos arredores de Valladolid (que viriam a inspirar uma série de personagens dos quadradinhos Disney), faziam a vida negra ao jovem Tomás de Torquemada enquanto brincavam às casinhas no prostíbulo local.
Segundo as crónicas da época, o futuro inquisidor insistiu para que as suas concubinas lhe limpassem a moradia imaginária, teimando na relação de amizade entre os dois utensílios domésticos e tratando-as de «bruxas», ao que estas replicaram com um «Quem diz é quem é» trocista.
Este episódio revelou-se traumático para Torquemada, que principiou a falar de vassouras sempre que um colega dominicano o cumprimentava com um «Pá, Torquemada, tudo bem?», descambando nas inúmeras fogueiras de intolerância em que arderam bruxas, judeus, mouros e outros hereges.
De forma irónica (e em homenagem póstuma às duas espanholas que acabaram por esturricar), «The shovel is the broom's friend» foi o pregão recuperado pelas mulheres de Salém, símbolos da insubmissão feminina à sociedade patriarcal e inspiradoras do Halloween, o feriado em que cada esposa podia passear livremente a sua vassoura sem o respectivo apêndice.
|| napalmneto, 14:27 || link || (3) comments |

sábado, outubro 28, 2006

The great way and the French way - À grande e à francesa

Expressão curiosa da sabedoria popular, que exprime a exclusão mútua do que é grande e do que é francês. Pensa-se que esta frase terá surgido pela primeira vez durante as guerras napoleónicas, quando os adversários do imperador francês se aperceberam da sua reduzida estatura.
|| myguiltyself, 20:48 || link || (0) comments |

sexta-feira, outubro 27, 2006

Not to be a great rifle - Não ser grande espingarda

Confissão da esposa de William Frederick Cody (mais conhecido por Buffalo Bill), que se lamentava que o marido era bom a matar búfalos, mas que na cama «não era grande espingarda».
|| myguiltyself, 18:34 || link || (0) comments |

It's a lot a fruit - É muita fruta

Palavras de desespero de Pedro Álvares Cabral, ao ver que a sua nau afundava com o excesso de peso causado pelas 3 toneladas de bananas e abacaxis, que lotavam os seus porões. As 5 toneladas de limas e a cachaça, felizmente, já tinham desaparecido completamente sob a forma de caipirinhas.
|| myguiltyself, 18:14 || link || (2) comments |

terça-feira, outubro 24, 2006

I saw Ana of the Castle - Viana do Castelo

Magnífica terra piscatória no Noroeste de Portugal, cujo nome tem origem numa das mais belas lendas medievais. Reza a história que, em noite de grande temporal, um pescador perdido no mar, julgando-se já condenado a uma morte terrível nas profundezas abissais, vislumbrou em terra duas fortes luzes que o guiaram às alvas praias, onde finalmente descobriu de que se tratava. Eram os faróis da senhora do castelo, Ana de seu nome, que, na torre mais alta, esperava que passasse o satélite das mamografias. Na manhã seguinte, o povo desceu à praia e muito rejubilou pelo salvamento milagroso do pescador, que, catatónico, balbuciava: «Viana do Castelo... Viana do Castelo... Viana do Castelo...»
|| myguiltyself, 13:43 || link || (0) comments |

segunda-feira, outubro 23, 2006

Great earringed - Grande argolada

(v. To stick the foot into a large earring)
Um pé posto na argola digno de entrar nos anais... da História.
|| myguiltyself, 22:10 || link || (0) comments |

To stick the foot into a large earring – Pôr o pé na argola

Posição sexual – não encontrada, nem na adenda do Kama Sutra ! – que deve a sua existência a um casal de hindus invertebrados. Esta posição, almejada pela maior parte dos fervorosos praticantes da modalidade, baseia-se na destreza física e na disponibilidade espaço-temporal: o namorado, abrindo as pernas, em forma de tesoura – ou tenaz, dependendo do feitio dos intervenientes – recebe a namorada que também tem as pernas abertas, da mesma forma, mas em sentido inverso. À guisa de 69.
Ele, afiambrando-lhe o membro que galga, maroto, as coxinhas sedentas de forrobodó, procura-lhe a argola com o pé – enquanto lhe acaricia o lóbulo – e eis que se consuma, pois que ficam como que encaixados. Ele fica com o pé preso na argola e: não mexe mais! Nem p’ra mudar o óleo!

Nota : Esta é das poucas expressões que pode ser elevada à potência de dez, mas apenas em dois casos específicos:
1- Se a rapariga estiver no período de ovulação (neste caso, pode provocar uma intumescência no ventre feminino);
2- Se os brincalhões forem apanhados pelo pai da menina, sendo obrigados a explicar tudo.
|| Marcaquinho do Chinês, 18:07 || link || (1) comments |

quinta-feira, outubro 19, 2006

Beat the Blind Midget - Bater no Ceguinho

Novo desporto urbano para jovens entediados, que mistura as lutas entre sem-abrigo (Bumfights) e o lançamento de anões (Midget tossing) e que consiste em perseguir e espancar todos os invisuais com menos de 140 cm de altura, em particular os que se dedicam a pedir esmola no Metro e na Baixa de Lisboa.
Existem várias abordagens a esta nova modalidade, umas mais simplórias (por exemplo, ganhar balanço e acertar na cabeça do ceguinho com um taco de golfe), outras mais tecnicistas (a mais apreciada pelos espectadores é fazer o ceguinho rodopiar suficientemente depressa até que este fique tonto e caia à linha do Metro quando uma composição está a entrar na estação).
|| myguiltyself, 16:36 || link || (0) comments |

quarta-feira, outubro 18, 2006

Trying to take turnips out of the earthen mug - Tentar tirar nabos da púcara

(cortesia da nossa consultora em Horticultura que preferiu manter o anonimato)
Operação que sucede à de tentar enfiar nabos na púcara, na qual os camponeses da Europa setentrional guardavam a saborosa Brassica rapa para que não fosse atacada pelos pulgões.
|| napalmneto, 13:55 || link || (1) comments |

sexta-feira, outubro 13, 2006

Snotty sheep - Ovelha ranhosa

(com a colaboração da Sociedade Portuguesa para a Metonímia)
A 13 de Outubro de 1971, no Vale da Amoreira, concelho da Moita, Raimundo Anatol afirmou ter visto três crianças transformarem-se numa gigantesca ovelha, enquanto apascentavam um pequeno rebanho na forragem de kleenex usados, por detrás do seu prédio.
Segundo relatos posteriores aos acontecimentos, por volta do meio-dia, depois de ter comido um pão com tulicreme, Anatol ouviu uma forte esternutação seguida de um som de esguicho. Julgando ser um espirro, decidiu ir-se embora, mas, logo abaixo, outro trovão ribombou nas traseiras, e terá visto em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra o CAT, ou Capelinha das Aparições e Tosquias), uma «Ovelha mais brilhante que o sol», de cujas patinhas dianteiras penderia um lenço branco.
Segundo os fiéis, a ovelha disse a Anatol que era necessário assoar-se muito e tê-lo-á convidado a voltar ao mesmo sítio no dia 13 dos cinco meses seguintes para o fazer na companhia dela, dando assim origem a um enorme culto de ranhosos na região.
Documentação e Imagem gentilmente cedidas pela Sneezipedia.
|| napalmneto, 15:01 || link || (3) comments |

quarta-feira, outubro 11, 2006

Fine hunt - Caça à multa

Acto venatório particularmente bizarro, praticado por alguns agentes da autoridade que se escondem sempre no mesmo local para apanhar os ingénuos condutores, que, inocentemente, só estavam a aproveitar aqueles 100 metros de recta no centro da cidade para fazer umas ultrapassagens a 120 km/h, ou que estavam distraídos a falar ao telemóvel e não viram o sinal de «stop», ou ainda, que, já tendo emborcado apenas 6 imperiais e 4 «TGVs», só queriam chegar a casa rapidamente para devolverem o carro aos pais.
As forças policiais aproveitam-se selvaticamente desses condutores, cuja ingenuidade roça a estupidez, exigindo-lhes que paguem «multas», o que como toda a gente sabe, é uma forma abjecta de extorsão.
|| myguiltyself, 23:02 || link || (2) comments |

Go to the knife - Ir à faca

Expressão popular que transmite bem a diferença entre ser atendido por um cirurgião com dezenas de anos de educação superior e um homem do talho com meia hora de formação profissional: absolutamente nenhuma.
|| myguiltyself, 19:24 || link || (1) comments |

Donnie Darko - Donaldo Escarumba

Personagem ficcional presente em diversos filmes do género «Blackxploitation», que se baseia no Pato Donald da Disney, tanto pela sua forma incompreensível de falar, como pelo seu andar gingão.
|| myguiltyself, 17:00 || link || (5) comments |

Flat and long like a swordfish - Chato e comprido como o peixe-espada

Prova da predilecção especial das senhoras mais exageradas, que se dedicam a números genitalo-circenses, pela espécie Trichiurus lepturus, vulgo «peixe-espada». As senhoras mais comedidas recorrem usualmente a outra espécie piscícola, a Scomber scombrus, vulgarmente conhecida por «sarda».
|| myguiltyself, 16:42 || link || (0) comments |

Flat as potass – Chato como a potassa

Composto «rico em sódio e pobre pobre em iodo» a partir do qual se extrai o potássio: um metal leve, maleável e com um ponto de fusão muito baixo. Utilizando pela primeira vez o método da electrólise, Humphry Davy conseguiu extrair este elemento com as mais diversas aplicações, desde a utilização em fertilizantes, aparatos de respiração de bombeiros e mineiros, passando por criações de personagens para telenovelas, até à fabricação de injecções letais.
|| napalmneto, 14:06 || link || (1) comments |

segunda-feira, outubro 09, 2006

To be a Commie in McCarthy’s crop – Pôr a foice em seara alheia

A guerra-fria florescia, o polvo vermelho já se andava a esticar. Joseph McCarthy, desconfiado, sabia que o poder das instituições, bem como o aparelho de estado norte-americano, não poderiam cair nas mãos dos Commies. Para evitar que tal acontecesse, foi levada a cabo uma «caça às bruxas» nos Estados Unidos, no princípio da década de 50, que se caracterizava pela perseguição dos que eram suspeitos de práticas anti-americanas, isto é, comunistas…

Curiosidade: Sabia que… se McCarthy não tivesse morrido em 1957, a famosa música de Neil Diamond, «Red Red Wine», um sucesso em 1968 – e mais tarde um hit dos UB40 – nunca teria sido editada? Não por causa do título da música, mas porque o cabelo de Neil não lembrava nem ao Brejnev!
|| Marcaquinho do Chinês, 19:55 || link || (4) comments |

sexta-feira, outubro 06, 2006

Since you're tiny, you must twist the cucumber - De pequenino é que se torce o pepino

(tb. «Since you're wee, you must wring the ~»)

Método pedagógico aplicado nas escolas às crianças com dislexia, consistindo na repetição diária desta frase tongue-twister por parte dos alunos, acompanhada da torção do respectivo pepino (para que não se esqueçam).
No caso português, o aluno que disser «troce» deverá ser punido com uma pepinada aplicada pelo professor.


|| napalmneto, 13:29 || link || (5) comments |

terça-feira, outubro 03, 2006

To put the Sphinx in the sphincter – Meter o Rossio na Rua da Betesga

Conta a História que Cleópatra, após a morte de seu pai, desposou o irmão. Ora, Cleópatra não estava para meias medidas (half-measures) e entendeu que o poder era todo dela, tomando as devidas providências.
Entretanto, Ptolomeu, seu irmão, que pensava que era muito espertinho, decidiu matar Pompeu, um cônsul romano, que, apesar de inimigo político de Júlio César, estava noivo da filha deste. César ficou com raiva de Ptolomeu e tomou a capital do Egipto, no intuito de anexar o império mais tarde. Cleópatra, muito sabida, fez uso do seu papel de sedutora e fez com que Júlio César a apoiasse na luta pelo trono.
Assim, e após uma pequena guerra civil, Ptolomeu foi afogado no Nilo e Cleópatra subiu ao poder. César, que entretanto começou com ideias sobre a fusão dos impérios, viu frustrar-se a sua pretensão com a expressão de Cleópatra: «Não queiras meter a Esfinge na Cloaca Máxima.»*

*A expressão passou por várias transformações/traduções na História. São resultado desta as duas expressões coloquiais; tanto a portuguesa como a inglesa.
|| Marcaquinho do Chinês, 18:46 || link || (3) comments |

segunda-feira, outubro 02, 2006

«Too much sand for your lorry» - «Areia demais para a tua camioneta»

Frase dirigida por Brad Pitt a Guy Ritchie (tentando reproduzir o sotaque cockney do realizador) durante as rodagens do filme «Snatch», quando o último admitiu perante toda a equipa as suas intenções de casar com a «diva da pop», Madonna.
|| napalmneto, 12:42 || link || (1) comments |
javascript hit counter