Dicionário Smart-Esperto

Ultra modum, sine causa.

segunda-feira, janeiro 30, 2006

Ball bath - Banho de bola

Ocasião em que 11 indivíduos resolvem lavar 44 testículos num recinto relvado à frente de 65000 borregos e com direito a transmissão televisiva.
|| myguiltyself, 10:41 || link || (3) comments |

Tall and stop the ball! - Alto e pára o baile!

Acto decretado concomitantemente por D. João V e George II da casa de Hannover, visando a normalização do limite de altura em alguns salões de espectáculo mais acanhados.
|| napalmneto, 10:19 || link || (0) comments |

Spitting image - Imagem cuspida

Referente ao antigo hábito dos crentes de tocarem, beijarem e lamberem as relíquias e as imagens dos Santos. Com o progresso e a constante aceleração do quotidiano, os crentes deixaram de ter tempo para entrar na Igreja e lambuzar em reverência e passaram a atirar fervorosas cuspidelas na direcção da imagem, numa espécie de jogo da malha salivar. Note-se que desde então os sacristãos passaram a cobrir-se com um largo oleado, para se protegerem dos efeitos ácidos do cuspo mais católico.
|| myguiltyself, 10:19 || link || (0) comments |

terça-feira, janeiro 24, 2006

To be on the stick - Estar a pau

Aceitar o convite enunciado em «To put oneself on the stick».
|| myguiltyself, 15:04 || link || (0) comments |

segunda-feira, janeiro 23, 2006

To return to the cold cow - Voltar à vaca fria

Acto de pessoa que vê a sua refeição ser continuamente interrompida por telefonemas e afins.
|| napalmneto, 22:50 || link || (1) comments |

To me, you come in a Morris Mini - Para mim, vens de carrinho

Expressão de escárnio veiculada pelo cómico inglês Rowan Atkinson, através da série Mr. Bean («O Sr. Bino», na adaptação portuguesa). Num dos seus inumeráveis episódios de Natal, Mr. Bean encontra relutância por parte da namorada em partilhar o dito automóvel.
O fenómeno teve sequelas por toda a Europa, do qual são exemplos o caso francês - «Pour moi, tu viens dans une petite bagnole» - e alemão - «Für mich, du kommst in einen kleinen Wagen».
|| napalmneto, 22:12 || link || (0) comments |

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Pulp fiction - Ficção de polpa

Um néctar, muito aldrabado, feito à base de concentrado.
|| myguiltyself, 18:48 || link || (0) comments |

Cow'n'tree music - Música vacas e árvores

Música de origem norte-americana, que versa sobre temas da Natureza e que se pode resumir da seguinte forma: vacas e árvores cantadas por bois e cepos.
Este termo ainda causa alguma confusão na Europa, dada a homofonia de «cow'n'tree» e «country», e só assim se explica o sucesso de algumas estrelas da cow'n'tree no Velho Mundo.
|| myguiltyself, 18:39 || link || (0) comments |

Wash me pork! - Lava-me porco!

Pequena nota que as mulheres adúlteras inscrevem na sujidade acumulada no carro dos seus maridos, com o propósito de os forçar a perder, na lavagem automática, a meia hora de luxúria com que se entregam aos seus amantes.
|| myguiltyself, 18:36 || link || (0) comments |

To go bathe the dog - Ir dar banho ao cão

A prova cabal de que os cães são animais porcos - uma hipótese já aventada no filme «Pulp Fiction» (v. Pulp fiction), que estão sempre a precisar que os lavem.
Note-se que não existe «Vai dar banho ao porco».
|| myguiltyself, 18:25 || link || (0) comments |

quinta-feira, janeiro 19, 2006

To be at one's daughter in law - Estar à nora

[tb. «To stay at the daughter in law's» (ficar à ~);]
Secular hábito de domingo que persiste, provocando um estado de confusão no seio das famílias.
|| napalmneto, 20:18 || link || (0) comments |

quarta-feira, janeiro 18, 2006

French fries - Batatas fritas

A prova de que os franceses e as batatas são a mesma coisa, apesar de ainda haver quem se recuse a comer batatas. O embaraço dos ditos é tal que até chamam às batatas «maçãs da terra» (v. Pomme de terre).
|| myguiltyself, 16:02 || link || (1) comments |

There is not 2 without 3 - Não há 2 sem 3

Expressão paradigmática da falta de conhecimentos matemáticos que grassa em Portugal. A expressão correcta é «não há 3 sem 2».
|| myguiltyself, 16:00 || link || (1) comments |

To laugh at unnailed flags - Rir a bandeiras despregadas

Rir, colocando a língua de fora, qual bandeira ondulando ao vento, até que a mesma se solte e voe em direcção ao azul infinito.
|| myguiltyself, 15:59 || link || (0) comments |

«Have we arrived to Timberland?» - Já chegámos à Madeira?

Frase lendária do explorador John Davis, que, após ter descoberto as Malvinas, crê ter achado na sua viagem de regresso o fabuloso Arquipélago das Botas Mágicas.
|| napalmneto, 14:11 || link || (0) comments |

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Sewn at the Portuguese - «Cosido» à Portuguesa

Barbarismo inglês. Fenómeno de homofonia que transformou um delicioso prato típico num sanguinário desporto, muito popular entre os emigrantes de 2ª geração.
A Sociedade Portuguesa para a Metonímia sugere o uso de «boiled pork and cow with vegetables, and lots of knorr» para evitar qualquer tipo de interpretação errada no futuro.
|| napalmneto, 17:49 || link || (0) comments |

sexta-feira, janeiro 13, 2006

Clean wheat, support flour - Trigo limpo, farinha amparo

(cortesia de _CaoPeao_)
Expressão que remonta ao final do séc. XVI, quando el-rei D. João fez promulgar uma lei que obrigava as ceifeiras a lavar as mãos depois de irem à casa-de-banho, o que muito ajudou à higiene geral do trigo colhido no reino. Foi precisamente esse asseio inovador que deu à farinha produzida a partir desse mesmo trigo características de sustentação inesperadas.
|| myguiltyself, 21:40 || link || (1) comments |

To put oneself on the stick - Pôr-se a pau

Um convite descarado para a sodomia.
(fra. «Être toujours à bâton»)
|| myguiltyself, 15:05 || link || (1) comments |

Holy Pussy of the Whistle - Santa C**a do Assobio

Local maravilhoso, situado a muito baixa altitude, originando por isso um peculiar silvo nos ouvidos de quem por lá se aventura.
|| myguiltyself, 15:03 || link || (0) comments |

To be of trunks - Estar de trombas

Fazer como o elefante, que não esquece as sacanices que lhe fazem; estar à espera de oportunidade para dar uma trombada.
|| myguiltyself, 14:58 || link || (0) comments |

The end of the monkey business - O fim da macacada

(regionalismo)
Fim de festa em algumas aldeias.
|| napalmneto, 12:21 || link || (1) comments |

quinta-feira, janeiro 12, 2006

I'll give you the rice - Eu dou-te o arroz

1. Catchphrase (ou frase-apanhada) dos gigolôs vietnamitas durante a guerra de 1965-1973, por oposição a «Me so horny, me love you long time».
2. Represália doméstica.
|| napalmneto, 12:34 || link || (1) comments |

To sleeve (with someone) - Mangar (com alguém)

1. Aproveitar a manga (do próprio ou de outrem) para se assoar.
2. Hábito irritante das crianças, de puxar pela manga dos casacos enquanto guincham e pedincham.
3. Chupar caroços de manga na companhia dos amigos.
|| myguiltyself, 09:50 || link || (1) comments |

Bad, bad Mary! - Mau, mau maria!

Primeiras palavras proferidas por José, quando a sua mulher lhe começou a contar a história mirabolante de como tinha engravidado. Seguiram-se «Deves estar a mangar comigo!» [v. To sleeve (with someone)] e «Qual pomba?!».
|| myguiltyself, 09:39 || link || (1) comments |

To make a heart out of guts - Fazer das tripas coração

1. Acto delirante, induzido por um estado de grande confusão relativamente aos órgãos do corpo humano.
2. Um pratinho de pipis seriamente comprometido.
|| myguiltyself, 00:28 || link || (0) comments |

Without porridge on the tongue - Sem papas na língua

Indivíduo que superou a dependência de farinhas lácteas.
|| napalmneto, 00:01 || link || (1) comments |

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Olive-oiler - Azeiteiro

(com a colaboração da Sociedade Portuguesa para a Metonímia)
Sujeito de nome e origem incertos, com gostos pessoais duvidosos semelhantes aos de um Manuel Luís Goucha.
Variavelmente, ostenta tatuagens de amor e guerra.
|| napalmneto, 22:35 || link || (0) comments |

He who has fear, purchases a dog - Quem tem medo, compra um cão

Normalmente utilizada como modo de pirraça a mariquinhas alérgicos.
|| dapaz, 20:45 || link || (0) comments |

Ouch the mug! - Ai o caneco!

(cortesia de Pipi - yes, that one)
Expressão de surpresa e desagrado cunhada pelo irmão de uma cunhada quando o seu clube não ganhou o caneco.
|| myguiltyself, 17:55 || link || (0) comments |

Crayon of cod - Pastel de bacalhau

(cortesia de Pipi - no, not that one)
Pintura alimentícia. Corante conhecido pela sua extrema fidelidade.
|| myguiltyself, 15:37 || link || (1) comments |

You must think you have the king in your belly - Deves pensar que tens o rei na barriga

Expressão dirigida a pessoas com a barriga muito grande, que por não gostarem da sua figura transferem a sua frustração para os outros, sendo uns chatos do caraças e uns gabarolas.
|| dapaz, 14:29 || link || (1) comments |

In codfish waters - Em águas de bacalhau

Local ao largo da Noruega (ou da Islândia, ou no Oceano Pacífico), onde todas as boas ideias acabam por encalhar.
|| myguiltyself, 13:18 || link || (2) comments |

The man with the grizzly pants - O homem das calças pardas

(eufemismo)
Um urso anónimo.
|| myguiltyself, 08:49 || link || (0) comments |

terça-feira, janeiro 10, 2006

No bread for crazy people - «Ná pão pa malucos»

Expressão idiomática surgida aquando da Guerra dos 100 Anos e recuperada mais tarde, durante a 1ª Grande Guerra, a partir dos subúrbios londrinos. Inicialmente ligada à questão do racionamento, tornou-se popular através do uso frequente por parte de treinadores de futebol.
|| napalmneto, 18:55 || link || (1) comments |

Running Mackerel - Carapau de corrida

(tb. Running facestick; racing ~;)
Criatura que rapidamente demonstra ser completamente desprovida de sentido de oportunidade e/ou decência.
|| myguiltyself, 14:26 || link || (0) comments |

Para transladutores

Este é um blog (berlógue) para todos os transladutores e para apresentar os produtos dos seus esforços.
|| myguiltyself, 14:16 || link || (0) comments |
javascript hit counter